John Carpenter, Peter Jackson, John Landis e David Cronenberg exibidos no Porto

John Carpenter, Peter Jackson, John Landis e David Cronenberg exibidos no Porto

1 Março, 2020 0 Por maisterror

O cinema Passos Manuel volta ao terror com 4 dos realizadores mais marcantes do género.

Depois de mostrar alguns dos “melhores piores filmes” em Fevereiro, nos quais se incluiu The Room, de Tommy Wiseau, o Passos no Escuro volta ao terror com quatro títulos incontornáveis do género. Nomes como Peter jackson, John Carpenter, David Cronenberg e John Landis, vão estar juntos no mês de Março para mostrar ao público do Porto os horrores do corpo humano, com filmes que mostram as maneiras como este pode ser moldado para efeitos chocantes – Morte Cerebral, Um Lobisomem Americano em Londres, Veio do Outro Mundo  e A Mosca.

O chamado “Body Horror” é, de facto, um sub-género do terror e é talvez aquele que mais nos faz contorcer na cadeira. Está também associado a subtextos de mudança e esses estão bem presentes nos títulos selecionados para este mês no cinema Passos Manuel.

Morte Cerebral, ou Braindead no título original, foi o filme que trouxe Peter Jackson à ribalta, bem antes de se meter pela terra-média d’O Senhor dos Anéis. Em 1992 ganhou o grande prémio do Fantasporto e foi considerado o filme mais sangrento alguma vez feito, tendo entrado no livro do Guiness como aquele que mais sangue falso usou numa produção. A trama fala-nos de um rapaz que não consegue fugir de uma mãe super protetora, impedindo-o de ter qualquer tipo de relação amorosa. É claro que o rapaz se apaixona e a mãe torna-se literalmente num monstro que vai condicionar toda a sua vida e meter à prova aquele grande amor. A metáfora não é subtil mas é eficaz, neste filme tão repugnante como hilariante.

Um Lobisomem Americano em Londres é um filme que rompe com todos os moldes do filme de lobisomens, pelo menos todos aqueles feitos até então. John Landis estava farto de ver transformações mal filmadas e, ainda contagiado pelo pragmatismo dos anos 1970, decidiu colocar dos jovens modernos no meio das “regras” sobrenaturais e esotéricas daquele género. O resultado é inevitavelmente humorístico, mas não se trata de uma comédia, é até bem niilista ao longo de toda a duração. Os efeitos especiais são também um ponto alto deste filme, tendo a Academia criado um Oscar para galardoar o trabalho de Rick Baker, o criador da sequência de transformação mais famosa da história do cinema.

John Carpenter dispensa apresentações, é um dos mestres incontornáveis do cinema de terror, e um dos trabalhos mais acarinhados do realizador é Veio do Outro Mundo, também conhecido como The Thing. Este remake do clássico de Christian Nyby e Howard Hawks é uma viagem pela paranoia e mostra de maneira visceral como um homem se pode transformar aos olhos de outro quando a desconfiança entra em jogo. Uma equipa de 12 exploradores em missão na Antártida descobre um ser extraterrestre enterrado na neve. Uma vez descongelado, provoca a devastação, cria o pânico à sua volta e transforma-se num deles. Este filme ainda hoje deixa as suas marcas e um exemplo disso é Os 8 Odiados de Quentin Tarantino, uma história de desconfiança sobre identidade que se passa na neve e também com banda sonora de Ennio Morricone.

Com A Mosca, David Cronenberg fala-nos das mudanças de relações amorosas, contando a história de um homem que se vai transformando gradualmente numa mosca, depois de uma experiência científica que correu mal. Jeff Goldblum e Geena Davis interpretam esta trama que nos apresenta um homem em literal mutação ao longo da sua sede de poder e no deteriorar da sua relação amorosa. São temas recorrentes na filmografia do realizador canadiano, que embora se tenha afastado do cinema de género, sempre mostrou um fascínio pelos horrores do corpo humano.

As sessões “Passos no Escuro” decorrem todas as quartas-feiras no cinema do Passos Manuel, no Porto.